Bem-vindo à Internet

Prefácio

A Internet, ou a Grande Rede de alguns autores, veio ao Brasil para ficar. Depois de pouco mais de dois anos de ter seu uso restrito à comunidade acadêmica nacional, iniciou-se em 1994 o processo que a estenderia a toda a sociedade, incluindo-se os setores produtivo e doméstico. Esta nova forma de intercâmbio de informação veio para complementar e até substituir com vantagem muitos mecanismos tradicionais e não tão tradicionais de comunicação, tais como telefonia, telex, telegrafia, e até secretárias eletrônicas e fac-símile. Adicionalmente abre ao usuário um leque de novos serviços de informação, muitos dos quais com custo extremamente baixo (às vezes é cobrado apenas o custo do próprio acesso à rede). Para mim é muito encorajador observar o entusiasmo com que o País abraça esta nova tecnologia, como testemunhado pela freqüência com que aparecem naturalmente na imprensa escrita e televisionada e até na embalagem de produtos endereços de correio eletrônico ou da World-Wide Web (WWW).

Não foi sempre assim, nem aqui nem em outros países. A Internet originou-se nos Estados Unidos no final dos anos 70, mas apenas nos anos 90 abriu-se seu uso à população em geral. Em cada país este crescimento se deveu inicialmente ao reconhecimento e posterior aproveitamento por alguns poucos especialistas acadêmicos (os verdadeiros pioneiros) das vantagens oferecidas pelas redes de computadores para superar a "tirania da geografia". Seguiu-se o envolvimento governamental para custear e ampliar este uso acadêmico e estendê-lo aos próprios governos. Numa terceira etapa veio a abertura maior. Na verdade esta abertura geral e irrestrita era também inevitável: a Internet era (e é) boa demais para ser utilizada apenas por acadêmicos e governos! Nós acadêmicos tínhamos nas mãos instrumentos de primeiríssima qualidade, que nossos alunos poderiam empregar apenas enquanto permaneciam alunos. A abertura da Internet era uma forma da universidade cumprir seu papel de transferência de conhecimentos e instrumentos à sociedade que a sustenta.

Neste contexto este livro se soma à contribuição que a universidade faz à sociedade nacional. Denise Del Re Filippo e Alexandre Sztajnberg fazem parte da geração de especialistas que introduziu a Internet no meio universitário fluminense, especificamente na ramificação da RedeRio dentro das unidades da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) em Nova Friburgo e na capital. Dedicaram-se a esta empreitada, cuidando tanto da montagem de infra-estrutura interna da UERJ como do treinamento dos seus usuários. Muitas pessoas em diferentes instituições acadêmicas nacionais passaram pela mesma experiência de Denise e Alexandre nestes últimos quatro anos. A contribuição especial deles é de terem transformado esta experiência num livro muito útil, que serve ao mesmo tempo como introdução e referência aos usuários. Nele também há uma das poucas tentativas de contar a história da Internet brasileira, e também de informar sobre fontes de informação em países de língua portuguesa.

A Internet está trazendo transformações importantes e profundas ao trabalho e ao lazer das pessoas. Conhecimentos de "informática", incluindo domínio de processamento de textos e planilhas, já fazem parte essencial da cultura moderna, e o seu ensino já é parte integrante do curriculo do primeiro grau em muitas escolas. O domínio da comunicação através de computadores tem importância ainda maior, pois não se limita ao simples aprimoramento de tecnologia de escritório, mas abrange potencialmente quase todos os processos de interação entre as pessoas, e entre elas e os serviços de informação. Serão encontrados neste livro os conhecimentos necessários para incorporar a Internet no nosso arcabouço cultural.

Michael Anthony Stanton
www.ic.uff.br/~michael/

Volta à página inicial